Grupo de Estudos Avançados em Saúde e Exercícios

Variedades

Body for Li(f)e

Paulo Gentil

 

Em primeiro lugar, creio que qualquer tentativa de induzir as pessoas a praticarem atividades físicas é válida, mesmo que o objetivo maior seja autopromoção e aumento da própria conta bancária, como no caso Bill Phillips.
Tecnicamente, há pouco o que comentar sobre o livro, visto que é uma obra sem pré-requisitos suficientes para uma abordagem científica. Em nenhum momento há preocupação de fornecer informação, a preocupação é somente quanto a venda de produtos e idéias. Por isso fico extremamente perplexo ao ver que alguns profissionais da área estão recorrendo ao livro para orientar sua metodologia de trabalho. Sinceramente, o profissional que encontrar novidades técnicas nesse livro deveria prestar novo vestibular e se dedicar um pouco mais aos estudos.

Alguns pontos que merecem mais atenção

- Recomendação da prática de atividades físicas em jejum.
Além de perigosa, esta prática é extremamente questionável, dizer que há maior queima de gordura em relação aos outros substratos energéticos durante uma atividade não significa que ela produza maiores alterações na composição corporal (veja Malhar em jejum).

- Nas palavras do autor: "...não acho que adolescente jovens - entre 13 e 15 anos - devam treinar com pesos. Nessa idade, recomendo exercício comum.- como boneco saltador, flexões, exercícios em barras ou argolas, deitar levantar, corrida - os tipo de atividade que eu fazia nessa idade".

Por mais que muitas pessoas ainda acreditem, isto não passa de mito. A sobrecarga que uma criança usa em atividades diárias como carregar material escolar, levantar um colega, subir em árvores... podem ser muito mais intensas do que exercícios de musculação adequados. Além do mais não creio que eu recomendaria determinadas atividades a meus filhos só pelo fato de Bill Phillips tê-las feito. Acho que devemos respeitar a individualidade e permitir às crianças a optarem pelas atividades.

- "os adolescentes de 16 a 17 anos podem fazer os exercícios apresentados neste livro, mas seu objetivo deve ser realizar de 15 a 25 repetições. Na puberdade, o corpo está tão voltado para o crescimento ósseo que os exercícios de musculação de pouca intensidade dão resultado. Os ossos, porém, ainda estão crescendo e os exercícios de musculação que exigem demais do corpo podem interferir no crescimento ósseo. Portanto adolescentes não devem começar a se exercitar intensamente com pesos enquanto não estiverem 'maduros' fisicamente. Isso costuma acontecer por volta dos 18 anos".

Errado! Repetições altas não são necessariamente recomendadas. Errado de novo! Os exercícios geralmente NÃO dão resultados tão bons em adolescentes devido a fatores hormonais. Errado mais uma vez! O prejuízo no crescimento é mais mito do que fato.

- "Poucos tem clareza sobre os princípios básicos da alimentação. Não é apenas algo que, em geral, aprendemos na escola ou no trabalho (a não ser que você trabalhe para mim), com um professor particular ou mesmo com um personal trainer" página 76.

Mais uma vez Bill Phillips demonstra egocentrismo ao se autopromover, e o pior, em detrimento deoutros profissionais.

- "Muitos 'especialistas' são mais confusos do que as pessoas que supostamente estariam ajudando. Às vezes, não sabem o suficiente e, acreditem se quiser, às vezes sabem demais".

Será que mediocridade técnica de Bill Phillips seria o melhor?

O livro é um exemplo de venda conjugada, no qual você compra a obra e ganha de lambuja uma "incrível" melhora na sua vida! Para convencer o leitor, Bill Phillips segue diversas estratégias, uma delas é levar você a acreditar que seja infeliz, mesmo que sinta-se bem com o próprio corpo, você é orientado a incorporar o padrão imposto pelo autor como o único verdadeiramente aceito.

A partir do momento que você assume e assimila a própria infelicidade, o autor se mostra muito amigo e lhe oferece a solução, que parece também só acontecer da maneira que ele recomenda. Há inclusive uma alusão de Deus fazendo uma pequena propaganda (página XIV). Para convencer o leitor de suas imposições, Bill Phillips abusa de frases contundentes como "toda sua existênciapassaria de um plano de realização e liberdade maior do que jamais experimentara", "estava apenas sobrevivendo ao invés de florescer", "estava infeliz". Espalhadas pela obra, há associações entre o sucesso induzido pelo programa Body for Life e sexo, dinheiro e sociabilização, segundo o próprio autor "ninguém quer ficar pobre e solitário", a solução para isto? Body for Life. 

Outra estratégia eficiente foi colher depoimentos de pessoas comuns, que poderiam ser seus vizinhos ou até mesmo parentes, ao recorrer a esta prática Bill Phillips aproxima-se muito do leitor. Mas dentre todos os recursos, o mais astucioso foi obter propaganda barata e eficiente através do concurso. Fotos antes e depois são um recurso muito antigo de vendedores sagazes e dificilmente não produzem bons resultados, se abrir uma revista americana de fitness com certeza vai encontrar estes tipos de fotos na maioria dos comerciais, e a maioria deles possuem um discurso inflamado dos "transformados" assim como no Body for Life.

Este é um exemplo nítido de como o capitalismo deturpa a visão da felicidade, a todo momento somos atingidos por investidas como esta. A visão de que a felicidade pode ser obtida através de um simples fator é uma fragmentação inescrupulosa da complexidade humana. O livro inteiro poderia ser assim resumido: você é infeliz e o programa Body for Life é a única coisa que pode lhe trazer felicidade.

Antes de finalizar, gostaria de fazer as seguintes indagações

1. Quantas pessoas você acha que seguiram este programa? E quantas fotos de sucesso você viu?
2. Há algum controle para comprovar se a pessoa realmente seguiu as indicações do "guru"?
3. Qual a probabilidade na manipulação dos resultados (gravidez, gêmeos, truques fotográficos, patologias, alteração do lapso de tempo, cirurgias...)?
4. Há exames cientificamente eficientes no controle dos recursos ergogênicos (lembrem-se que nem mesmo o COI consegue controlar esta variável)?
5. Enfim quantos recursos as pessoas são capazes de usar para ganhar os vultuosos prêmios?